Quem tem direito a pensão por morte do INSS





Esta é uma pergunta feita por muitos leitores aqui do blog, pensando nisso, fomos atrás das respostas para esclarecer quem tem direito a receber pensão por morte do INSS.

A pensão por morte é um benefício que é pago ao trabalhador quando ele morre. Não existe um tempo mínimo de contribuição que seja necessário para o pagamento do benefício, desde que a pessoa falecida tenha condição de segurado.

Quem tem direito a pensão por morte do INSS?

Tem direito a pensão por morte o cônjuge, companheiro ou companheira (desde que comprovada a união estável) e filhos menores de 21 anos ou inválidos, desde que não tenham se emancipado entre 16 e 18 anos de idade. Os pais do segurado, desde que sejam declarados como dependente do mesmo e irmãos não emancipados, menores de 21 anos de idade ou inválidos. Os enteados que também estiverem sob a tutela do segurando, se tiverem menos de 21 anos, terão direito ao benefício.

Publicidade Relacionada



Os documentos como declaração de Imposto de Renda é considerado legal para cobrar a dependência de cônjuges, companheiros e filhos. Existe também uma ação civil pública que determina que o companheiro homossexual de um segurado também tem direito a pensão por morte e auxílio reclusão, desde que a vida em comum seja comprovada.

Como Solicitar a Pensão por Morte do INSS?

Você pode solicitar a pensão através do telefone 135, através do portal da Previdência Social na internet (www.previdenciasocial.gov.br) ou então nas agências da Previdência Social. Mesmo solicitando o benefício via internet ou telefone, toda a documentação deverá ser apresentada.

Quais os documentos necessários para solicitar a pensão por morte?

Confira a lista completa de documentos necessários para solicitar a pensão por morte.






Comentários

  1. Maria Aparecida Balarin disse

    Desculpe o erro: onde se lê ele faz jus é, ela faz jus.

  2. Maria Aparecida Balarin disse

    Ola, tenho uma ex cunhada que recebe pensão por morte de uma filha e uma pensão alimentícia de meu irmão. Ocorre que ele faleceu este mês. Pergunto; ele fará jús as duas pensões por morte ou terá que optar por uma apenas?? Obrigada pela atenção.

  3. Flavia disse

    Por favor me ajudem com esta duvida,,,Meu tio faleceu ,ele era aposentado por idade acredito,minha tia viuva estrangeira (viveram juntos 50 anos) tem direito a aposentadoria dele?? outra coisa tem gente que disse que sim e é o que acho,mas disseram que tem a pensao pos morte tambem ,entao seria possivel ela receber dois beneficios??? Ela é muito velha e doente seria muito bom ,pois faz uso de inumeros medicamentos,e nunca recebeu qualquer beneficio por ser estrangeira …

    • RainyDays disse

      Oi Flavia
      Provavelmente ela vai ter direito à pensão por morte, pois a aposentadoria da pessoa é automaticamente cancelada quando a pessoa falece. Ela era casada no Brasil com seu tio? Se não era, acredito que será preciso provar que eles viveram juntos esse tempo todo. Mas é o que falei, o benefício aposentadoria se torna pensão por morte quando a pessoa morre. Os dependentes recebem a pensão e não a aposentadoria.
      Abs

  4. disse

    meu marido faleceu a 4 anos e deixou uma filha de 4 anos.quanto tempo demora para ela receber o beneficio?ela recebe tambem pelo tempo apos dar entrada no beneficio?

    • RainyDays disse

      Oi Dayane

      Depende da agência do INSS em que você deu entrada. Normalmente o máximo que demora são 20 dias, e o INSS é um dos mais rápidos a pagar.
      Se demorar mais que isso, ela deve receber junto o que tiver atrasado.

      Abs

      • dayane silva disse

        eu fui em uma audiencia ontem para dar entrada no beneficio…..o meu advogado disse que ia demorar um pouco para ela receber pelo fato dela ter 4 anos…..me disse tambem que o tempo de sair o beneficio para ela e de no maximo no final do ano.e certo
        isso?

        • RainyDays disse

          Esquisito Dayane.
          Só se é por que você teve que entrar com advogado para solicitar a pensão. Normalmente sai rápido para aqueles que não precisam de advogado, que podem dar entrada direto nas agências, aí sai em 20 dias. Se seu advogado falou isso, então deve demorar um pouco mais mesmo. Mas acredito que ela receba junto os atrasados, normalmente é assim.

          Abs

          • rafael william canova disse

            eu gostaria de saber
            20 dias uteis ou corrido pro papel da pensão chegar

          • RainyDays disse

            Oi Rafael
            Normalmente a pensão por morte sai muito rápido, demora mais ou menos 20 dias corridos, mas dependendo do caso pode demorar. Por exemplo, se é a mãe que vai receber pensão do filho falecido, pode demorar mais, pois a mãe tem que provar que era dependente do filho. Em alguns casos o INSS pede até testemunhas, aí costuma demorar bastante.

            Você pode consultar se o Benefício já foi concedido entrando em:
            http://www3.dataprev.gov.br/cws/contexto/consit

            Preencha o número do beneficio (que está escrito no protocolo entregue pelo INSS) e data de nascimento, nome e CPF.
            Se estiver tudo correto aparecerá que o benefício foi aprovado.

            Abs

  5. simone santos disse

    gostaria de saber se nesse caso ela tem direito?????MINHA SOGRA É APOSENTADA COM UM SALARIO MINIMO, MEU SOGRO TAMBEM,SENDO QUE ELE FALECEU,ELA TEM DIREITO DE FICAR RECEBENDO A PENSÃO????? JÁ QUE ELA JÁ É APOSENTADA???POR FAVOR ME TIRE ESSA DUVIDA. PRECISO AJUDALA JÁ QUE GASTA COM REMEDIOS E ELE ERA QUEM PAGAVA AS DESPESAS DA CASA???? OBRIGADA :)

  6. disse

    eu era depende finasiiramente do meu pai..
    ela que pagava meu curso ..era ele que me sustentava pra tudo..
    queria saber se tenho algum direito..mas tenho uma irmã de 4 anos..

    • RainyDays disse

      Oi Cibele
      De acordo com a lei atual, você poderia receber até os 24 anos desde que esteja cursando ensino superior, quando completa 24 anos o filho perde o direito. Somente filhos inválidos na época do falecimento que continuam recebendo pensão vitalícia.
      Provavelmente a pensão será passada toda para o nome da sua irmã, até ela completar 21 anos ou 24 se cursar ensino superior.
      Abs

  7. Gustavo disse

    Olá, antes da minha avó falecer ela deixou um documento dizendo que deixaria sua pensão para sua filha (minha mãe), porém depois de 15 anos da sua morte, minha mãe encontrou esse documento. Hoje ela possui um pouco mais de 50 anos. É possível recorrer?

    • RainyDays disse

      Oi Gustavo

      Se sua mãe era dependente financeiramente da sua avó na época em que ela faleceu, então pode ser que ela tenha direito a receber. O problema vai ser provar agora que ela dependia de sua avó, pois já passaram 15 anos e, pelo jeito, ela já deve estar se sustentando sozinha. O melhor seria conversar com um advogado e ver se ainda teria alguma chance, assim esse mesmo advogado entraria com pedido.

      Abs

  8. denis disse

    Meu pai faleceu em cayenne em 2009 tinha 20 anos de firma e minha mãe nunca recebeu pensão acho que quem recebe e a irmã dele tem como mudar esse quadro ?

    • RainyDays disse

      Oi Denis

      Se sua mãe era casada com ele ou vivia junto (e tiver como provar isso), provavelmente ela tem direito à pensão. Vocês deveriam entrar com advogado para pedir a parte que tiver direito.

      Abs

  9. disse

    oi, minha mãe faleceu há 13 anos, na época eu tinha 12 anos e minha irmã 8 anos, ela já tinha mais de 10 anos como professora e nunca recebemos pensão, hoje tenho 25 e minha irmã 21, será q ainda temos algum direito?

    • RainyDays disse

      Oi France

      Os filhos têm direito à pensão até os 21 anos ou até terminarem a faculdade. Se vocês estiverem estudando, pode ser que tenham direito. Para saber sobre isso seria preciso comparecer a uma agência da Previdência Social ou ligar para o 135, que é a Central de Atendimento da Previdência.

      Abs

  10. disse

    meu pai morreu faz 3 meses.ele era funcionário federal,gostaria de saber se tenho direito a receber o seu salário

  11. Igor Liomar disse

    olá … meu pai erá funcionário público do tribunal de contas , faleceu em 2008 e eu tinha na época acabado de completar 18 anos , hoje eu tenho 23 anos e nunca fiz nenhum requerimento de pensao por morte , conseguiria eu hoje receber os retroativos do período dos 18 anos aos 21 anos ? obrigado

    • RainyDays disse

      Oi Igor

      Infelizmente acho que você perdeu o direito. De acordo com alguns sites da web, pensões por morte mantidas pelo INSS (lei 8213 de 1991) os valores de pensão por morte são devidos desde o óbito se pedidos até 30 dias após este. Quando passa esse prazo são devidos a partir do dia do pedido. Se alguém completa 16 anos é considerado que já pode pedir por si só, então ela tem até 30 dias para solicitar a pensão, se fizer isso neste tempo, ela irá receber todos os valores desde a data do óbito, passado este prazo ela só recebe a partir da data do pedido. Como você já tem 21 aos, passou do prazo de 30 dias após os 16 anos, você só deverá receber o valor a partir da data do pedido.

      Abs

  12. Tatiana disse

    Ola.minha filha tem 10 anos de idade o pai dela faleceu ha 5 anos.a mae dele deu entrada na pensao apos Vinte dias do seu falecimento pois minha filha não era registrada no nome dele.eu entrei com um processo na epoca e agora consegui registra la fui ao inss e a gerente me disse que ela recebera os atrasados.mas tenho duvidas pq a mae dele recebia.sera que minha filha vai receber mesmo?

    • RainyDays disse

      Oi Tatiana

      Acredito que sua filha tenha direito sim aos atrasados, mesmo que a mãe dele tenha recebido. Às vezes vão até descontar da pensão da mãe dele, para pagar o valor atrasado à sua filha. Caso não saia os atrasados, procure um advogado de confiança para ajudar a entrar com o pedido junto ao INSS.

      Abs

  13. Romario disse

    Olá minha esposa faleceu em 2012, éramos casados há 4 anos e meio, mas não tínhamos filhos, nunca corri atrás, tenho direito à pensão? Ela trabalhava registrada.

    • RainyDays disse

      Oi Romario
      Se ela trabalhava com carteira assinada, então provavelmente tinha direito. Tente ligar para o 135, eles poderão informar o que você deve fazer para dar entrada. Mesmo que tenha passado dois anos, se voê tiver direito, vai passar a receber normalmente.
      Abs

  14. Maria disse

    Sim, trata-se de pensão por morte, mas depois da Justificação por dependência econômica o INSS indeferiu e hoje ela quer entrar para ficar recebendo e os atrasados. Minha dúvida é porque hoje ela já é maior.

    Quanto a outra situação que mencionei é de uma aposentado da Universidade Federal e nesse caso é também competência do INSS?

    OBRIGADA.

    • RainyDays disse

      Oi Maria

      No caso de pensão por morte do INSS, parece que a pessoa perde o direito aos atrasados, não tem jeito. Ela só vai receber a partir da data do requerimento. Então se ela for solicitar novamente, receberá a partir do dia que a pensão for concedida.

      Como seu marido é aposentado do Governo (Universidade Federal), acredito que a pensão por morte seja paga pelo INSS mesmo. Mas o melhor era você entrar em contato com a Universidade para saber com certeza. Se for pelo INSS, acredito que não tenha como deixar tudo organizado para antes do falecimento. No 135 podem tirar sua dúvida sobre isso.

      Abs

  15. Maria disse

    Gostaria de tirar duas dúvidas. A primeira é se uma pessoa aposentada pela Universidade Federal podem, ainda em vida, regularizar junto ao departamento de recursos humanos da Universidade deixando tudo pronto para , em caso de óbito dele ficar a pensão para a esposa e ou sua filha incapaz.O que precisa de documentos para deixar tudo pronto na Universidade e não só para depois de seu óbito..

    Outra dúvida é se no caso de uma pessoa que fez a justificação por dependência econômica e entrou no INSS e em 1994 foi indeferida e se ainda pode receber judicialmente os atrasado, uma vez que o 135 já informou que o mesmo tem direito, mas deve entrar de novo , mas se ela fizer isso pode perder os atrasados, nesse caso não melhor lopo entrar na Justiça? Hoje a menor dependente na época já é maior, mas na época que o INSS indeferido? Agradeço se puder me ajudar.

    • RainyDays disse

      Oi Maria

      Que eu saiba não tem como fazer isso não. Pois a pensão por morte é paga pelo INSS, então só depois da pessoa falecer, o dependente tem que ir no INSS e solicitar a pensão. Acredito que no caso de filha incapaz, você possa entrar com algum advogado, para deixar preparado para sua filha. Mas é preciso saber corretamente quais documentos necessários para fazer isso, talvez no 135 eles possam informar.

      “Ou seja, o MAIOR incapaz relativa ou absolutamente (cujas hipóteses estão previstas no artigo 3º e 4º do Código Civil) têm direito a pensão por morte.

      Para tanto há necessidade de declaração judicial da incapacidade através do processo de INTERDIÇÃO.(art. 1767 e ss do CC). Interditados, os maiores incapazes, sejam absolutamente ou relativamente incapazes, têm direito a pensão por morte, como beneficiário do segurado.

      O processo de interdição pode ser promovido pelos pais, tutores, cônjuge, quaisquer parentes (com assistência de um advogado) e pelo Ministério Público.

      Os atrasados seriam de pensão por morte? Pois no caso de pensão por morte, quando a pessoa atinge os 16 anos ela tem até um mês após alcançar os 16 anos para pedir os atrasados desde o óbito do genitor. Após estes 30 dias é a partir da data do requerimento, e perde o direito aos atrasados.
      Não sei se você entrar na justiça conseguirá receber esses atrasados, teria que conversar com um advogado para tirar essa dúvida.

      Abs

  16. edila disse

    oi!estou com uma duvida eu e meu filho vamos receber a pensão por morte do meu falecido marido eu ja agendei o inss para 13 de junho a duvida e se eu q vou receber a parte do meu filho ou essa mesma fica em uma poupança ate ele completar a maior idade?

    • RainyDays disse

      Oi Edila

      Acredito que a pensão é liberada em seu valor total, você poderá retirar a sua parte e a parte do seu filho. Se quiser que fique guardado, você mesma terá que abrir poupança e colocar a parte dele lá.

      Abs

  17. Jonathan Santana disse

    só pra lembrar, sou o mesmo do comentário anterior, nesse ponto o meu pai está casado e assinamos uns papeis como que ela seja procuradora dele pra resolver as coisas dele.. mas ela não parece ser tão capaz.. mas ainda assim concordei por ela ser esposa e por ele aceitar.. mas uma vez aguardando conclusão de respostas uma ótima tarde!

  18. Jonathan Santana disse

    Olá RainyDays minha mãe morreu no ano de 2004, e o meu pai a muito tempo sofreu um acidente o que causou escrisofenia pelo menos até onde sei. mas ele age muito bem quando toma seus medicamentos de forma correta! se encostou pela empresa e é aposentado mesmo antes de minha mãe ter morrido..depois veio outro cartão da pensão de morte de minha mãe que está no nome dele.. e sempre que eu vou receber um valor, pelo menos uma vez no ano é necessário que ele vá comigo para validar a senha e só com a presença dele consigo fazer essa operação, o que prova que ele seja o proprietário do cartão da previdência social. tenho 20 anos de idade, e o meu Único irmão tem 22. mas querendo ou não.. eu não quero ter peso na conciênçia.. recebo esse valor desde sempre meu irmão já realizou empréstimo.. meu pai no fundo sabe que é dele mas falei com ele que iriamos ficar com o cartão já que ele utiliza o outro, mas confesso que creio que posso estar errado. fiz esse comentário por que preciso de uma orientação de alguém que entenda mas que eu no assunto. ficarei grato pela resposta sucedida..

    • RainyDays disse

      Oi Jonathan

      Não entendi bem seu problema, você queria saber se pode ter um cartão seu para poder pegar o dinheiro?

      Abs

  19. Fernando disse

    minha mãe morreu e meu pai nunca pediu a pensão,pq acho que não teria direito.minha mãe quando morreu era dona de casa faz 18 anos que ela faleceu.queria tirar minhas duvidas meu pai tem direto a pensão,ela trabalhou com carteira mas quando faleceu ela era dona de casa alguem pode tirar minhas duvidas

    obrigado

    • RainyDays disse

      Oi Fernando

      Não importa que sua mãe tenha contribuído alguma vez para o INSS, o que importa é ela ser segurada quando faleceu. Se ela tinha deixado de contribuir, então infelizmente perdeu o direito de segurada.

      “A pensão por morte é um benefício que é pago ao trabalhador quando ele morre. Não existe um tempo mínimo de contribuição que seja necessário para o pagamento do benefício, desde que a pessoa falecida tenha condição de segurado”

      Abs

  20. JOSÉ BENVINDO PEREIRA disse

    NA ESCRITURA DE DIVÓRCIO CONSTA QUE A EX-ESPOSA É BENEFICIÁRIA DE PENSÃO DA APOSENTADORIA NO CASO DE MINHA MORTE, SEM CONSTAR PERCENTUAL. SÓ CONSTA O PERCENTUAL DA PENSÃO ALIMENTÍCIA, 30% EM VIDA. COMO ME CASEI NOVAMENTE, MESMO COM SEPARAÇÃO DE BENS, QUAL O DIRETO DE MINHA ATUAL ESPOSA EM CASO DE MINHA MORTE? PRECISO ADITAR A ESCRITURA E COLOCAR PERCENTUAIS? COMO FAZÊ-LO?

    • RainyDays disse

      Oi José

      Nestes casos a pensão por morte é divida em partes iguais, ou seja, ela será dividida em duas partes iguais entre sua mulher atual e sua ex-mulher. Se tiver filho incapaz, a pensão é divida em três partes iguais. Acredito que não tem como colocar percentual, pois isso já foi decidido pelo governo, a divisão é sempre em partes iguais, ninguém tem direito a mais que o outro.

      Abs

  21. paulo sergio disse

    ola! minha mae é falecida a 15 anos, na época eu tinha 12 anos e sou filho unico mas nunca recebi nada eu tenho direito a pensao? hoje estou com 27 anos ainda tenho algum direito.

    • RainyDays disse

      Oi Paulo

      De acordo com o site Consultor Online, pensão por morte não requerida não gera direito a atrasados. Se um dependente tinha direito e só vai requerer no INSS com 21 anos, não vai receber nada, pois já atingiu a data limite para pagamento da pensão. Ele não receberá os valores atrasados que teria direito quando um dos pais faleceu. Somente se fosse requerecer, por exemplo, com 20 anos, aí receberia esse último ano a partir do dia que fez o pedido.

      Abs

  22. Regiane disse

    Boa tarde.
    Meu pai faleceu a pouco tempo. Era aposentado pelo INSS e ainda trabalhava com carteira assinada. Minha mãe é funcionaria pública, casada com ele há mais de 20 anos, mas recebe muito pouco e dependia dele economicamente para sobreviver.
    Ela tem direito a pensão mesmo trabalhando?
    Se tiver, ela receberá o valor da aposentadoria ou o valor do salário do emprego que ele tinha?
    Esse processo normalmente é demorado?
    Ela precisará comprovar dependência econômica através de alguma documentação, mesmo sendo casada?

    Obrigada

    • RainyDays disse

      Boa Tarde Regiane

      Acredito que sua mãe tenha direito sim a pensão, pois ela dependia do seu pai. Talvez solicitem documentos para saber o quanto ela recebe.
      Se a pensão for concedida, o valor será o mesmo da aposentadoria que seu pai recebia.

      Para ter certeza sobre o que ela tem que fazer para solicitar a pensão e quais documentos irá precisar, dê uma ligada para o 135, que é a Central de Atendimento da Previdência.

      abs

  23. geni disse

    Minha filha e pensionista, agora a mae do mesmo entrou com pedido de pensao tentando tirar a pensao da minha filha, ela tinha uniao estavel, plano de saude dele compravam juntos em lojas e a mae dele nao era dependente dele ela trabalha tem casa propria e marido ela e funcionaria publica ela consegue essa pensao?

    • RainyDays disse

      Oi Geni
      Não tenho certeza se ela vai conseguir. Se ela conseguir, provavelmente a pensão será dividida entre mãe e filha.
      O melhor é você ligar para o telefone 135 que é a Central de Atendimento da Previdência e conversar com eles. Explique o que está acontecendo e pergunte o que você pode fazer.
      Abs

  24. JANIELY ADELAIDE DA SILVA disse

    Olá!!!
    Tenho uma tia que perdeu o filho a poucos dias, ele morava em casa ajudando os pais que são doentes , mas, não recebem nenhuma ajuda. Meu primo deixou um filho de 6 anos , não era casado e sua ex ja morava com outro quando ele faleceu. Como vai ficar a pensão? A mesma pode ser divida entre a mãe do meu primo ( minha tia) e seu filho?

    • RainyDays disse

      Oi Janiely

      Se comprovar que os pais eram dependentes dele, então a pensão poderá ser dividida entre os pais e a filha. Mas será preciso comprovar que eles dependiam do filho que faleceu.

      Abs

      • JANIELY ADELAIDE DA SILVA disse

        Muito obrigada pela ajuda. Por favor gostaria de saber se você pode me tirar mais uma dúvida. Esse mesmo primo que conto que faleceu acima sofreu um acidente a um ano atras e deu entrada na justiça para tirar a indenização pelo acidente, mas ele faleceu sem que esse dinheiro saísse. O dinheiro ainda vai sair? Por que a ex mulher dele disse que se sair é dela. Se esse dinheiro sair ele deve ficar com quem ? Com a mãe dele que dependia dele, ou com a ex mulher só por causa do filho menor que meu primo tem com ela?

        • RainyDays disse

          Oi Janiely
          Isso eu não tenho certeza, o melhor era você procurar um advogado de confiança, talvez ele possa solicitar a indenização para a família, uma vez que seu primo faleceu. Se a indenização puder ser dada aos dependentes, normalmente os valores são divididos entre os mesmos, então o valor deve ser dividido entre o filho e outros dependentes. Lembrando que é preciso confirmar na justiça que a mãe era dependente financeiramente do filho.

  25. edenilson disse

    § 2º. Não será concedida pensão por morte aos dependentes do segurado que falecer após a perda desta qualidade, nos termos do art. 15 desta Lei, salvo se preenchidos os requisitos para a obtenção da aposentadoria na forma do parágrafo anterior.”

    O caso de ser falecimento por câncer não coloca dentro da ressalva? aposentadoria por invalidez permanente; Nem quero para mim, gostaria que a pensão fosse depositada integral para nossa filha, para ser usada nos estudos mais tarde.

  26. edenilson disse

    Minha esposa faleceu fazem 5 meses, ela contribuiu como autónoma quando solteira,parou quando casamos e depois contribuiu por um tempo cerca de 5 meses, mas estava há 4 anos sem contribuir, temos uma filha de 5 anos. Fiz o pedido junto ao INSS mas deu indeferido. Existe algo a se fazer, ou essa decisão é incontestável?

    • RainyDays disse

      Oi Edenilson
      Quando ela faleceu ela estava contribuindo? Ela tinha que ser segurada quando faleceu.

      Mas se ela tinha moléstia grave e não pôde contribuir, pode ser que tenha direito. Talvez seja necessário você conversar com algum advogado, ele poderá explicar melhor o que você deve fazer e se pode entrar com recurso para solicitar a pensão para sua filha.

      Abs

  27. sirlei bedin disse

    meu ex marido faleceu era beneficiario do inss tenho tres filhos com uma menosr de idade ela sendo beneficiaria dele , existe valores do fgts para serem liberados

  28. mariana disse

    quero saber se tenho direito na pensao de viuva tive 6 anos de convivencia tive 3 filho o pai dos meus filhos morreu em 2002 meus filhos eram de menor hoje a cacula tem 23 anos nunca corrir atraz de saber se tinha ou nao direito eu morava em rondonia hoje minha cidade atual Bahia nao tenho nada de documento do falecido so o cetidao de obitor dele sera que consigo receber a pensao?

    • RainyDays disse

      Oi Mariana

      Você poderia comparecer a uma agência da Previdência para saber se seu marido contribuia ou não para o INSS quando faleceu. Se ele contribuia, provavelmente você tem direito. Talvez seus filhos nao tenham mais direito, pois são maior de idade. Eles também atendem no telefone 135, que é a central de atendimento.

      Abs

  29. Karol disse

    Meu pai faleceu há 11 anos, neste tempo minha mãe tentou pensão hoje eu tenho 19 anos e a minha irmã 16, ainda tenho chance de requerer a pensão? obrigada

    • RainyDays disse

      Oi Karol

      Tem que ver se seu pai contribuia na época que faleceu. Se ele contribuia, pode ser que vcs tenham direito sim.
      Tente dar uma ligada para a Previdência, o telefone é 135, eles poderão informar tudo que você tem que fazer para tentar receber a pensão.

      Abs

  30. Rafael disse

    Olá.
    Minha mãe recebe pensão por morte do meu pai desde 2003. ela recebe 3/4 da pensão sendo 1/4 meu, 1/4 do meu irmão, 1/4 dela e os outros 1/4 é de um filho que ele teve fora do casamento. Eu trabalhei como menor aprendiz, com registro e contribuição de INSS. Eu gostaria de saber se há a possibilidade do beneficio meu (1/4), que ainda cai através dela, possa ser depositado diretamente pra mim ? Ela ja havia me dito que, como foi decretado na lei antiga, o beneficio não sofreria alteração no valor quando eu e meu irmão completássemos 18. o valor todo seria dela no caso. Quero começar a faculdade e ela ta gastando indevidamente. Posso receber minha parte diretamente, sem o intermédio dela ?

    • RainyDays disse

      OI Rafael

      Não tenho certeza se o INSS coloca a pensão no nome do filho, mas você poderia perguntar para a própria Previdência, é só ligar para o 135, eles poderão informar se é possível você receber a sua parte em seu nome.
      Explique o que está acontecendo e o que você poderia fazer para mudar.

      Abs

  31. Flavia De Araujo disse

    Olá gostaria de saber morei junta com meu marido quase 10 anos desse relacionamento tive 3 filhas hoje a mais velha esta com 12 a do meio com 10 e a caçula com 5 anos, meu marido faleceu em abril de 2009 entrei com processo para receber a pensão por morte ja tem 1 ano que recebo a pensão quando teve a audiencia o juiz decretou o inss pagar a pensao e os atrasados desde a epoca do obito so que o inss não pagou os atrasados até hoje,,,queria saber se eu vou receber esses atrazados e se demora muito para eles pagar essa ação contra está na justiça ainda porque o inss não quer pagar esse multante de atrasados.eu tenho que esperar oque eu faço me ajudem…

    • RainyDays disse

      Oi Flavia

      Normalmente o INSS paga sim, mas era bom você ter ajuda de um advogado para ele poder verificar se esses atrasados vão sair mesmo. Se não forem sair, teria que entrar com ação na justiça solicitando os atrasados.

      Abs

  32. ARI SIQUEIRA disse

    MINHA IRMÃ QUE ERA APONSENTADA POR TEMPO DE SERVIÇO, FALECEU EM ABRIL 2014, MEU PAI É APONSENTADO POR IDADE E RECEBE SOMENTE UM SALÁRIO MINIMO POR MÊS, NESTE CASO,
    MEU PAI PODE REQUERER A PENSÃO PELA MORTE DA MINHA IRMÃ???

    • RainyDays disse

      Oi Ari

      Se seu pai for dependente da sua irmã, então pode ser que ele tenha direito sim. De acordo com o INSS “Os pais do segurado, desde que sejam declarados como dependente do mesmo”.

      Abs

  33. Milena disse

    Olá , gostaria de tira uma duvida recebia pensão por morte do INSS, só que eles param de me pagar pelo fata de eu ter atingir a maior idade ( completei 21 anos em agosto) , entrei com um processo na Justiça federal da minha região pedindo que o INSS voltasse a pagar até eu termina a minha faculdade ou até os 25 anos , na época o site do INSS que falava sobre os direitos da penão por morte tinha um trecho assim: não será considerado a emancipação decorrente de colocação de grau cientifico em curso de ensino superior , gostaria de saber se esse trecho significa alguma coisa.

    • RainyDays disse

      Oi Milena

      Esse trecho aparecia no parágrafo: “A cota individual do benefício deixa de ser paga: pela morte do pensionista; para o filho ou irmão que se emancipar, ainda que inválido, ou ao completar 21 anos de idade, salvo se inválido; quando acabar a invalidez (no caso de pensionista inválido). Não será considerada a emancipação decorrente de colação de grau científico em curso de ensino superior”.

      Acredito que esse trecho se refira somente ao filho inválido, mesmo que seja maior de 21 anos, continua sendo dependente do segurado, desde que não seja emancipado. Todavia, se a emancipação ocorrer por motivo de colação de grau em curso superior, o filho inválido não perde a condição de dependente.

      Mas uma pessoa disse aqui nos comentários que conseguiu continuar recebendo a pensão até terminar a faculdade, mas foi preciso entrar com recurso com advogado.

      Abs