Erva de São João interações medicamentosas


Erva de São João interações medicamentosas e contraindicações, quais são? Está pensando em tomar esta planta medicinal e gostaria de saber se pode causar algum revertério com medicamento que já usa? Neste post explicamos um pouco sobre a Erva de São João (Hypericum perforatum L.), suas interações com outros medicamentos e se pode tomar bebida alcoólica com ela.

Erva de São João interações medicamentosas

Estudos mostraram que a Erva de São João,  Hypericum perforatum L., pode interagir com medicamentos aumentando a taxa do seu metabolismo ou aumentando os níveis de neurotransmissores.

O efeito no metabolismo parece ocorrer em isoenzimas do citocromo P450 no fígado e intestino, reduzindo os níveis sanguíneos e a eficácia de alguns medicamentos. Alguns exemplos de medicamentos que atuam no mesmo local são a carbamazepina e fenitoína, e podem ter seu efeito alterado pela erva.

Erva de São João interações e contraindicações
Erva de São João interações e contraindicações

A erva ainda pode aumentar os níveis do neurotransmissor serotonina no cérebro por aditivo ou efeito potencializador sobre outros medicamentos. Neste caso os medicamentos afetados são os antidepressivos inibidores seletivos de recaptação de serotonina (ISRS ou SSRI), como a fluoxetina ou paroxetina; outros antidepressivos como a nefazodona; e alguns medicamentos para enxaqueca como o naratriptano.

Essa interação pode resultar em vários sintomas como alterações do estado mental, suor, aumento de pressão arterial e outros efeitos causados pelo aumento da serotonina.

Em alguns casos é necessário que a pessoa pare de tomar Erva de São João enquanto estiver fazendo uso do medicamento. Converse com seu médico caso pretenda tomar essa erva.

Medicamentos que podem interagir

  • Indinavir, nelfinavir, ritonavir, saquinavir (inibidores da protease do HIV) – fortes evidências de que ela reduz concentrações de plasma desses medicamentos, reduzindo sua eficácia.
  • Ciclosporina, tacrolimus (imunossupressores) – fortes evidências de que ela reduz concentrações de plasma desses medicamentos, reduzindo sua eficácia.
  • Warfarina – evidências moderadas de que ela reduz efeito deste anticoagulante, sendo necessário aumentar a dose.
  • Digoxina – evidências moderadas de que a erva reduz os níveis do medicamento no sangue, podendo ocorrer perda de controle dos batimentos cardíacos ou insuficiência cardíaca.
  • Citalopram, fluoxetina, fluvoxamina, paroxetina, sertralina, nefazodona (inibidores seletivos de recaptação de serotonina e antidepressivos relacionados) – evidências moderadas de que a erva aumenta os níveis do neurotransmissor serotonina, trazendo riscos para saúde.
  • Teofilina – teoricamente reduz o efeito deste broncodilatador no sangue, reduzindo sua eficácia.
  • Efavirenz, nevirapina, delavirdina (inibidor da transcriptase reversa não-análogo dos nucleósidos (NNTRI)) – teoricamente reduz os níveis deste medicamento no sangue, diminuindo sua eficácia.
  • Fenitoína, carbamazepina, fenobarbitona (anticonvulsivos) – teoricamente reduz os níveis deste medicamento no sangue, reduzindo sua eficácia.
  • Contraceptivos orais (pílula) – a Erva de São João pode interferir na absorção do hormônio e bloquear o efeito da pílula.

Pode beber ao usar Erva de São João?

É recomendado evitar o consumo ou reduzir o consumo de bebida alcoólica enquanto estiver tomando a Erva de São João.

A bebida pode aumentar os efeitos colaterais causado pela Erva de São João no sistema nervoso como, tontura, sonolência e dificuldade de concentração. Algumas pessoas podem ter dificuldade para pensar e de julgamento.

Contraindicações

O uso seguro dessa erva é recomendado por até 12 semanas em quantidade moderadas. Alguns estudos mostraram ser segura por até um ano. Ela pode causar efeitos colaterais como problemas para dormir, sonhos vívidos, agitação, ansiedade, irritabilidade, perturbação do estômago, fadiga, boca seca, tonturas, dores de cabeça, erupção cutânea, diarréia, e formigamento. A ingestão de altas doses dessa erva não parece ser segura.

Tenha cuidado se for passar na pele, pois pode causar reações graves à exposição solar, principalmente pele clara.

Não é recomendado seu uso na gravidez, estudos mostraram que pode causar defeitos congênitos em fetos de ratos. Nem se estiver amamentando, pois ela passa para o bebê e pode causar cólicas, sonolência e apatia.

Não é recomendado seu uso caso tenha que fazer operação com anestesia. Pessoas que usaram a erva por seis meses, tiveram complicações cardíacas durante a cirurgia.

Em pessoas com depressão grave, a Erva de São João pode provocar manias.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.